Blog Simplic

29 outubro 2018

Emergências em casa: o que fazer?

Curto-circuito, vazamento água ou gás, pia ou vaso sanitário entupidos. Sabemos que tudo isso é sinônimo de dor de cabeça e que não queremos nada disso na nossa casa. Mas, se um desses problemas aparecer, você sabe o que fazer? Muita gente realmente não conhece algumas medidas básicas de como agir nesses casos, o que pode piorar ainda mais a situação. Pensando nisso, a Simplic reuniu algumas dicas do que fazer em caso de emergências em casa. Confira!

Vazamento de água

Um encanamento furado, além de causar aumento considerável na conta de água, pode trazer danos para a sua casa, como infiltrações e manchas nas paredes. O complicado é que nem tudo é visível e pode ser um pouco complicado de identificar. Ainda bem que existem alguns truques bem simples que podem ajudar nessa tarefa e evitam que você tenha que chamar um técnico ou até quebrar uma parede sem necessidade, ou seja, menos problemas e menos gastos.

Para começar, é interessante sempre estar atento ao consumo de água registrado na conta. O número disparou sem nenhuma causa aparente? Então é provável que tenha algum vazamento. E para ajudar a detectar de onde vem o problema, observe os itens abaixo:

  1. As paredes ou pisos estão úmidas mesmo em tempos mais secos, com pouca chuva? Ou aquele azulejo que sempre foi normal agora está oco? Isso tudo pode ser sinal de vazamento nos canos. Outro teste que pode ser feito de forma bem rápida consiste em fechar as torneiras, deixar os banheiros desativados por um tempo e desligar aparelhos que usam água, como a máquina de lavar. Com todo o uso da água suspenso em toda a casa, basta ir até o hidrômetro, que é aquela espécie de relógio utilizada para a leitura do consumo, e anotar os números que estão aparecendo ou ainda a posição do ponteiro maior. Espere pelo menos uma hora. Depois, volte ao hidrômetro e veja se o ponteiro se movimentou ou se o número marcado no relógio mudou. Caso isso tenha acontecido, é sinal de que existe algum vazamento dentro de casa. Nesses casos, se você não quiser quebrar nada sem necessidade, é interessante chamar uma empresa especializada em “caçar” esses escapes de água. Elas usam aparelhos modernos que conseguem detectar com facilidade se há algum buraco ou rachadura nos canos e quem for consertar consegue saber exatamente qual ponto precisa de reparo.

    Curiosidade:
    Em um buraco de apenas 2 milímetros pode jogar fora todos os dias mais de 3 mil litros de água. Por isso, fique de olho nas alterações na conta de água e evite que seu dinheiro vá literalmente pelo ralo.

  2. Um item que merece atenção é o vaso sanitário. Para descobrir se é ele o responsável por disparar sua conta de água, você vai precisar de um par de luvas, um copo descartável e um balde. Coloque as luvas e retire a água do vaso sanitário com o copo, depositando no balde até que ele fique vazio. Espere 20 minutos. Nesse período, você não poderá acionar a descarga. Observe se o nível da água subiu. Se sim, é sinal de que existe algum vazamento. Nesse caso, pode ser que o problema seja a válvula. Sabendo o modelo, se você tiver um pouco de habilidade com esse tipo de trabalho, é possível reparar sem a necessidade de um profissional. Basta seguir o passo a passo indicado na embalagem.
  3. O pinga-pinga das torneiras pode parecer que é algo mínimo, mas no final do dia isso pode representar um desperdício de mais de 40 litros, ou seja, em um mês, são 1.200 litros de água limpa que vão para o ralo sem necessidade. E o mais impressionante é que é superfácil resolver isso: basta trocar o vedante, disponível em lojas de materiais para construção a preços bem acessíveis. O desgaste é normal e pode acontecer com o tempo ou até mesmo pelo costume de apertar demais na hora de fechá-la, então é bom ficar sempre de olho.

Curto-circuito

O curto-circuito é um dos problemas mais comuns em instalações elétricas. E, justamente por isso, você deve ficar atento quando faz qualquer tipo de reparo, pois alterações mal feitas podem acabar causando até incêndios. O ideal é tudo seja feito por um profissional.

Geralmente, é possível detectar um curto quando o disjuntor “desarma” quando um eletrodoméstico é ligado, indicando que houve sobrecarga no circuito, mas manchas pretas em interruptores ou tomadas e fios queimados também podem ser sinais de alerta. No primeiro caso, o ideal é desligar o aparelho e ligá-lo em outro circuito, onde possa ter menos sobrecarga, depois de ter religado o disjuntor. Já no segundo caso, o recomendável é substituir a parte danificada, o que, como dissemos, deve ser feito por uma pessoa que realmente tenha conhecimento no assunto.

Se sentir cheiro de queimado, fumaça ou perceber que algum cabo está derretido, procure imediatamente a ajuda de um eletricista. Além de todos esses cuidados, o ideal é a cada cinco anos fazer uma revisão geral na fiação para detectar se não há nenhum problema que possa gerar um curto ou ainda problemas mais sérios.

Vazamento de gás

Gás de cozinha é coisa séria, já que um vazamento pode ser fatal. Por isso, todo cuidado é pouco. Para começar, o indicado é que a instalação seja sempre feita por um profissional e, de preferência, em um local bem arejado.

Ao fazer a troca por um novo, é importante certificar-se sempre se o cone-borboleta, que é aquela peça que acopla a mangueira ao botijão, está bem fixado. E nunca aceite caso ele esteja corroído por ferrugem. Lembre-se também de confirmar de tempos em tempos se a mangueira está dentro do prazo de validade. Caso perceba qualquer vazamento, não tente improvisar tapando com cera, sabão ou outros “truques”, pois isso pode ser muito perigoso.

Se perceber aquele o cheiro característico, que, aliás, é acrescentado justamente para essa função, já que o gás não tem cheiro, não acenda luzes, fume ou ligue equipamentos eletrônicos. Qualquer faísca pode ser suficiente para causar uma explosão. A orientação é desconectá-lo e deixar o espaço bem ventilado (se for interno, abra portas e janelas). Caso a mangueira esteja em dia, a dica é ligar para a empresa que vendeu o gás – sempre longe do local, para evitar qualquer risco.

Dica extra:
Sabe aquela mania antiga de deitar o botijão para aproveitar até o último restinho do gás? Saiba que isso é muito perigoso. Caso escoe algum resíduo em fase líquida, poderá causar um acidente. Então o costume para render mais não vale a pena, o ideal é trocar e evitar problemas.

Pia entupida

A água não está descendo com facilidade pelo ralo? Então significa que ela precisa ser desentupida com urgência. Algumas receitas caseiras podem ajudar a solucionar o problema:

  • Bicarbonato
    Coloque de 1 a 4 colheres de bicarbonato de sódio no ralo da pia e, após um minuto, despeje uma xícara de vinagre branco. Espere meia hora e despeje com cuidado água quente para terminar a limpeza.
  • Detergente
    É normal que a pia da cozinha sofra com o acúmulo de gordura nos canos. Para resolver o problema, esquente uma quantidade de água, misture detergente e despeje no ralo com cuidado.
  • Refrigerante
    Uma dica curiosa, mas bem eficaz, é jogar aquele tradicional refrigerante de cola dentro da pia. Suas substâncias ajudam a fazer a limpeza dos canos, desentupindo.

É importante entender o que causa o problema para evitar que aconteça novamente. Na cozinha, aqueles restinhos de comida que acabam caindo dos pratos e, principalmente, o óleo das frituras acaba sendo o responsável por isso. Então, o ideal é sempre fazer uma limpeza prévia antes de colocar tudo na pia e descartar no lixeiro.

Já o óleo precisa ser colocado sempre em garrafas pet depois que estiver frio para fazer a destinação correta. Além de evitar o entupimento, você evita problemas nas unidades de tratamento e também ajuda o meio ambiente. Um litro de óleo pode contaminar até 20 mil litros de água. Então, melhor evitar, não é mesmo? Informe-se na sua região se há algum ponto de coleta – veja uma lista com várias cidades aqui. Depois de enviado para a reciclagem, o óleo se transforma em sabão, detergentes e até tintas.

No caso do banheiro, é comum que fios de barba, cabelo e até mesmo escamas da nossa pele acabem se acumulando e entupindo o ralo. Nesse caso, o ideal é fazer a limpeza do sifão. O processo é simples: desrosqueie a peça, remova os resíduos acumulados e faça a limpeza usando água, detergente e uma esponja. Lembre-se de usar luvas e colocar um balde embaixo para evitar que a água caia no móvel ou no chão.

Vaso entupido

Assim como a pia, o vaso sanitário também pode acabar entupindo. Mas você não precisa ficar desesperado, pois existem algumas técnicas que podem ajudar a resolver o problema. Para começar, o bom e velho desentupidor. Ele faz uma espécie de vácuo e, quando combinado com a ação da descarga, ajuda que o que está obstruindo a passagem de água consiga se mover.

Mas, se você não tem um em casa, também é fácil improvisar usando um cabo de vassoura e uma garrafa pet cortada ao meio. O cabo deve ser colocado no “bico” e a parte aberta colocada dentro da privada. Depois, é só fazer aquele movimento para baixo e para cima, como o desentupidor tradicional. Se o problema continuar, o ideal é buscar uma empresa especializada para fazer o serviço para não piorar a situação.

Fique atento aos produtos utilizados para essa finalidade disponíveis no mercado, como a soda cáustica. Ela pode ser útil, mas deve ser aplicada com o máximo, sempre com óculos e luvas, cuidado para evitar acidentes. Nesse caso, em um recipiente grande, deve-se misturar 2 litros de água morna com 500 gramas do produto e misturar com um objeto de cabo longo até que ela dissolva totalmente. Despeje lentamente o líquido no vaso sanitário e aguarde 12 horas. Depois, dê a descarga 5 vezes e limpe o vaso usando luvas. Se o procedimento não funcionar, o ideal é chamar uma desentupidora profissional. Não repita o uso, já que isso pode acabar danificando a tubulação.

Importante:
Não descarte papel higiênico, fraldas, absorventes, cotonetes, lenços umedecidos ou outros objetos no vaso sanitário. Isso, aos poucos, poderá causar entupimento e, como você já viu, pode ser algo complicado de resolver! Se o problema for causado por um dos itens citados, a soda cáustica não irá solucionar.

É hora da manutenção. E agora?

Assim como o carro e até mesmo nosso corpo, a casa também precisa de um check-up de tempos em tempos. Uma revisão na fiação elétrica, a manutenção de encanamentos, o reparo no telhado, a troca de alguma janela ou porta quebrada, aquela merecida pintura que traz novos ares ao ambiente: tudo isso é necessário, mas nem sempre se tem grana no bolso para poder investir no momento. E muita gente acaba adiando itens necessários justamente por não ter dinheiro na mão.

Ainda bem que para essas e outras emergências, existe a Simplic! Empréstimo pessoal online, seguro, fácil e rápido, quando você mais precisa. Está cansado de jogar para frente aquela reforma que sua casa tanto precisa? Então faça agora uma proposta em nosso site!

São valores de R$ 500 a R$ 3.500 que podem ser pagos em 3, 6, 9, ou 12 vezes por débito automático. Não importa se você trabalha com carteira assinada, é aposentado, pensionista do INSS, autônomo, servidor público ou até negativado*. Aqui, qualquer pessoa maior de 18 anos, com CPF ativo e conta bancária (Bradesco, Itaú, Santander e Caixa) pode enviar uma proposta. Se aprovada, o dinheiro cai na conta em até 24 horas!

Está esperando o que para transformar a sua casa? Solicite agora um empréstimo Simplic e faça a tão sonhada reforma já! Clique no banner abaixo e faça uma simulação gratuita:

*Sujeito à análise da instituição financeira.

Simule seu empréstimo