Blog Simplic

29 abril 2019

Saiba qual é a real importância do controle financeiro empresarial

Um dos grandes pesadelos de qualquer empresa é descobrir que está sem caixa ao final de um mês. Ou pior, que isso aconteceu antes mesmo do mês chegar ao final. A boa notícia é que isso pode ser facilmente evitado, através do controle financeiro empresarial.

Afinal, para conseguir dar continuidade às suas atividades é preciso comprar produtos junto aos fornecedores e pagar algumas contas comuns, como água, luz e telefone.

Será que você, dono de uma empresa, sabe a real importância de manter suas finanças sob controle? Continue lendo para saber mais sobre o assunto:

O que é controle financeiro?

Controle financeiro é algo que toda empresa deve ter, de forma a evitar não apenas prejuízos, mas também saber lidar com imprevistos.

O controle financeiro pode ser feito tanto por empresas quanto pelas pessoas físicas. Envolve dados relacionados ao uso do dinheiro, entradas e saídas, que são anotadas em uma planilha de finanças, por exemplo.

No caso de pequenas e grandes empresas, seu principal objetivo é entender como está a saúde financeira da empresa. Se existe caixa disponível naquele momento, se é possível pagar todos os fornecedores e dívidas e ainda ter dinheiro sobrando, quanto a empresa possui em patrimônio e até mesmo o que tem a receber de seus clientes.

Qual é a importância do controle financeiro nas empresas?

Através do controle financeiro empresarial, é possível ter controle do fluxo de caixa e direcionar melhor os valores disponíveis. Ou, em caso de falta de dinheiro, orientar para uma redução de custos. Dentre alguns pontos importantes estão:

1. Pagamentos e cobranças

Empresas com um bom controle financeiro sabem exatamente quando precisam realizar pagamentos – inclusive se existem descontos – e quando precisam cobrar clientes.

2. Corte de gastos e desperdícios

O corte de gastos e desperdícios pode ser feito a qualquer momento, e o controle das finanças da empresa permite enxergar melhor o que pode ser reduzido ou até mesmo cortado.

3. Apuração de resultados

A Demonstração de Resultados de Exercício (DRE) é feita com a ajuda do controle financeiro. A partir dela, é possível entender os ganhos da empresa no ano atual e até fazer uma projeção para os próximos.

4. Controle de estoque

Empresas precisam ter estoque, mesmo que estejam trabalhando oferecendo algum serviço. Você precisa ter peças ou produtos que utiliza durante o atendimento ao cliente. Com isso, é importante saber o valor, em dinheiro e quantidade, do seu estoque.

5. Planejamento

Tendo como base como está a saúde financeira da sua empresa, é possível se planejar para o próximo ano ou meses. Você determina planos de ação (para aumentar vendas, por exemplo) e até corte de custos.

6. Conhecimento profundo do seu negócio

O controle financeiro também permite que você conheça seu negócio como um todo. Retornos de investimentos, lucro esperado, capital de giro, custos e despesas. Tudo analisado em conjunto, permite que o empreendedor – ou o dono da empresa – entenda melhor como sua empresa está funcionando e quais decisões precisam ser tomadas.

Como fazer um controle financeiro de qualidade

Seguindo algumas dicas simples, é possível manter um controle financeiro empresarial de qualidade.

Sabendo o quanto o controle financeiro empresarial é importante para sua empresa, surge uma dúvida: o que fazer para conseguir manter esse controle? Veja algumas dicas:

1. Use softwares voltados para controle das finanças

Softwares de gestão são grandes aliados de empresários que desejam manter um bom controle financeiro de suas empresas. Aposte em modelos que se encaixem bem com o seu negócio, de forma que seja possível inserir o máximo de informações e gerar relatórios bastante completos.

2. Faça promoções para mercadorias paradas

Notou algo parado em estoque? Estude um jeito de movimentar esse dinheiro. Promoções são interessantes para chamar a atenção dos clientes. Você pode até mesmo vender a preço de custo, caso o produto esteja no estoque há muito tempo.

3. Classifique todas as contas

Você precisa anotar todas as contas que pertencem a sua empresa, porém é preciso separar de acordo com o que se destinam. Por exemplo: “Despesas patrimônio”, podem incluir água, luz, telefone, aluguel. Já “Despesas RH”, tudo que esteja ligado aos funcionários: treinamentos, salários, benefícios.

4. Evite ficar inadimplente

Ficar inadimplente é um risco para seu controle financeiro. Você pode acabar ficando sem caixa e até mesmo tendo perdas não esperadas. É melhor renegociar do que deixar de pagar.

5. Registre tudo

Tudo que acontece na sua empresa – e envolve dinheiro – precisa ser registrado no controle. Faça uma atualização diária, inclua compras, vendas, estoque e contas a receber e a pagar.

6. Reduza seus custos

Ter custos muito altos dentro da empresa não é interessante para seu negócio. Você pode acabar gastando mais do que o planejado ou simplesmente perder dinheiro por não se atentar a detalhes que podem ser cortados ou reduzidos.

Por exemplo: será que é preciso realizar tantas compras de copos plásticos? E se forem deixados apenas para os clientes, incentivando os funcionários a usarem xícaras e copos que podem ser lavados?

7. Negocie com fornecedores

Procure trabalhar com fornecedores que oferecem os melhores prazos e condições de pagamento. Assim, você não compromete o orçamento da empresa, sempre tem estoque e ao mesmo tempo não fica inadimplente.

Faça análises diárias ou semanais

Analise o tempo todo o que está acontecendo com o dinheiro da sua empresa. Conheça como funcionam os processos e veja no que você pode estar errando. Assim que identificar um sinal de que estão ocorrendo mais saídas que entradas financeiras, tome alguma atitude para reverter isso.

Por exemplo: clientes mais próximos podem ser acionados com propostas para adiantamento de parcelas (descontos nos valores). Assim você aumenta a quantia de dinheiro presente em seu caixa.

Ficou alguma dúvida?

Realizar o controle financeiro empresarial não é uma tarefa difícil, porém, é importante fazê-lo sempre, independentemente do tamanho de sua empresa. Afinal, é uma forma bastante prática de observar a saúde financeira do seu negócio e evitar problemas – e até mesmo a quebra da empresa.

Caso tenha ficado alguma dúvida sobre o assunto, deixe nos comentários. Não se esqueça de compartilhar o artigo em suas redes sociais, para que outros empreendedores possam conhecer melhor o tema.

Simule seu empréstimo